Têm sido tempos de penosa exceção. Praticantes e “Family Supporters (R)”, já sabíamos o quanto nos afetaria a falta da prática regular do karate.
Temos perfeita consciencia que a natureza individual da superação do caminho (DO) de esforço e conquistas, que no quotidiano palmilhamos com abnegação e que reconhecemos como construtor de personalidades sãs e comprometidas com a sociedade, se desenvolve em conjunto.
Este período de afastamento forçado deixa marcas que temos de continuar a atenuar, regressando prudentemente à nossa atividade presencial sob a vigilante supervisão dos nossos instrutores, que se têm empenhado em construir um modelo responsável de trabalho que assegure a proteção e segurança dos nossos praticantes.
Definitivamente o #KARATEFAZFALTA (R).